Menu Sites

Causas / Ramal de Guapimirim

Ramal de Guapimirim


Manifesto ramal de Guapimirim abandonados à própria sorte.

Histórico:

Há muito tempo é desejo do governo do Estado acabar com este ramal como aconteceu com os outros que foram desativados. Na privatização dos trens urbanos, este ramal continuou em poder do Estado, e sofreu o mesmo desgaste que o ramal de Niterói a Itaboraí, que também ficou em poder do Estado. Os ramais passaram a ter horários irregulares, meses sem circulação de trem, até que um dia o de Niterói parou e não voltou mais. Só que em Guapimirim Frei Evaristo lutou muito para que isso não acontecesse, perturbou tanto que foi transferido para a África, e o Ramal continuou. A Supervia trocou de dono entrou a Odebrecht, mas surgia o Estatuto das Cidades, que garantia acessibilidade total, então o jeito era fazer com que a Supervia Odebrecht conseguisse desativar a linha, provar que ela não é comercial, com a conivência do Estado e dos municípios por onde passa o Ramal.

O plano é usar parte desde leito ferroviário, de Magé a São Bento para a E. F. 118 a nova ferrovia Rio Vitória, o resto entre Magé e Guapimirim uma parte será usada para o BRT, inclusive o Estado já autorizou a construção de uma avenida próximo à Estação de Guapimirim, usando parte do leito ferroviário.

Sem trem só restará ao povo mudar para a região de Queimados onde será aplicada a verba do Banco Mundial em um TOD, 64 bilhões uma verbinha que daria para consertar a baixada toda. Mas Queimados tem um Parque Industrial, montado com isenções Estaduais e Municipais, e os políticos achavam que seria a grande opção de emprego, só que a cada ano que passa, as indústrias ficam cada vez mais automatizadas, diminuindo as vagas de trabalho. 80% da população da baixada, trabalha no setor de serviços no centro do Rio. Não tem qualificação para disputar as vagas nas industrias. Neste quadro a obrigação de trabalhar somente na baixada, vai gerar desemprego.

Mas é isso que o povo de Guapimirim e Magé quer????? Seremos todos manipuláveis a ponto de mudarmos nossas vidas para gerar lucro a pessoas poderosas, e que querem lucrar sempre, determinando em quem devemos votar, onde devemos morar e como devemos viver????? Quando assumiu o ramal de Guapimirim a Supervia Odebrecht fez algumas reformas, depois parou e tudo converge para a troca do leito ferroviário de trens de passageiros para o trem de carga, o que é crime em qualquer lugar do mundo, menos no Estrado do Rio.

Várias Paradas de trem foram desativadas, algumas foram reformadas e voltaram, mas 4 estão sem funcionamento causando sofrimento e custando caro para uma imensa população. Não existia acidentes registrados nestas Paradas, mas como elas servem somente para embarque e desembarque de um único vagão, sob a alegação de falta de segurança elas estão sem funcionar, os trens passam diretos, e o povo que banque o custo do ônibus para poder trabalhar. A linha circula com 4 horários em cada sentido por dia, que não atendem as necessidades de ir e vir da população, no passado quando o número de passageiros era de 20 mil pessoas por semana e dava um bom lucro, eram mais de 10 partidas de cada lado, por dia. Hoje o número de passageiros não passa de 2 mil por semana, e a Supervia Odebrecht chora muito o gasto neste ramal, não faz a manutenção de trens e da linha, não contabiliza os passageiros que embarcam nas Paradas, e não vê a hora de passar o ramal para cargas ganhando um bom dinheiro com isso. Tudo caminha para um final melancólico de mais um ramal ferroviário.

O Direito universal de ir e vir, o transporte social, o código de defesa do consumidor, e o respeito aos Estatutos do Idoso, e da Pessoa com Deficiência, deveriam ter obrigado o Estado, os municípios envolvidos, a Agetransp, e a Supervia Odebrecht a resolverem esta questão, mas como respeitar as Leis é obrigação só da população......Mas Frei Evaristo está de volta para lutar ao nosso lado.

Nos abaixo assinados viemos por meio desta solicitar a recuperação do Ramal Saracuruna Guapimirim, com melhoria total na linha. Primeiramente solicitamos que o trem volte a parar nas paradas de Praia de Mauá, Santa Dalila, Santa Guilhermina, e Maringá. Queremos o direito do povo construir imediatamente estas paradas, usando um Crowdfunding, sem esperar por eternas promessas, e tudo virar manobra eleitoral. Somos contra a transformação de transporte de passageiros em transporte de cargas, já existem traçados alternativos para o trem de carga. Queremos o aumento no número de viagens de trens, além de melhorias nas composições. Não queremos o fechamento deste Ramal. E se a Supervia Odebrecht continuar a não cumprir as nossas Leis, respeitar seus usuários, e não cumprir com a realização de seu serviço público, que se troque de concessionária.
Nestes termos pedimos providências

Compartilhe:

Ir para o formulário de assinatura.
×